Pages Menu
Â̂ߋ Sede Central Izunome Izunome Group
Categories Menu

Postado on 25/set/2018(ter)

Caminharemos unidos a Kyoshu-Sama, haja o que houver!

Caminharemos unidos a Kyoshu-Sama, haja o que houver!

Este conteúdo está disponível em: ja日本語

Print Friendly, PDF & Email

25 de setembro de 2018

A todos os membros e ministros

Caminharemos unidos a Kyoshu-Sama, haja o que houver!
– Resgatando o sentimento que Meishu-Sama impregnou na
criação da Igreja Mundial do Messias –

Assim que foi garantida a liberdade religiosa, devido ao estabelecimento da constituição do Japão após o término da 2ª Guerra Mundial, imediatamente Meishu-Sama instituiu a pessoa jurídica religiosa Nippon Kannon Kyodan (Igreja Kannon do Japão) em 1947. No ano seguinte, em 1948, também foi instituída a Nippon Miroku Kyo (Igreja Miroku do Japão), com atuação paralela à Nippon Kannon Kyodan. No Culto do Início da Primavera de 1950, ambas organizações religiosas foram voluntariamente dissolvidas para a criação de uma nova Igreja, a Sekai Meshiya Kyo (Igreja Mundial do Messias).

Posteriormente, Meishu-Sama deu continuidade à Obra Divina adotando o nome “Igreja Mundial do Messias” até ascender em 1955. Meishu-Sama desenvolveu suas atividades como religião, e sempre deu muita importância ao nome Igreja Mundial do Messias. Podemos dizer que tanto a criação desta, como ter “nascido de novo como Messias”, em seus últimos anos de vida terrena, tenha sido as mais importantes realizações na vida de Meishu-Sama.

Em 1950, quando instituiu a Igreja Mundial do Messias, Meishu-Sama transmitiu-nos claramente qual rumo a Obra Divina deveria tomar a partir de então.

Ao ser questionado pelos membros sobre o significado do “Mundial”, no nome Igreja Mundial do Messias, Meishu-Sama respondeu da seguinte maneira:

Nosso principal objetivo é guiar o mundo inteiro em direção à felicidade através da fé. Porém, no Ocidente, existe o cristianismo. Jesus Cristo pregou que ‘o reino dos céus se aproxima’. Esse seu ensinamento é muito próximo do nosso, uma vez que pregamos o advento de um ‘Paraíso na Terra’. O que Jesus Cristo pregou é realmente digno de louvor. Temos que admitir sua grandeza e o seu poder divino de trazer a salvação a todo o mundo. Por essa razão, a nossa nova religião deseja atuar em consonância com o cristianismo para cumprir, de corpo e alma, nossa divina missão de salvar a humanidade e conduzi-la na direção correta, começando no Oriente, a partir do Japão.

Jornal Kyusei, vol. 48 – 4 de fevereiro de 1950
Fonte: Alicerce do Paraíso – Religião Vol. I, pág. 331 da edição em japonês

Ao ser questionado por outro membro: “É possível estabelecer a Paz Mundial pela força da religião?”, Meishu-Sama respondeu:

Acredito em absoluto! Conforme eu disse anteriormente, temos Cristo no Ocidente e Messias no Oriente. A atuação em consonância dessas duas grandes forças fará com que todos os membros, em prol da Paz, batalhem seriamente para que, certamente, seja estabelecida a Paz eterna.

Jornal Kyusei, vol. 53 – 11 de março de 1950
Fonte: Alicerce do Paraíso – Sociedade e Agricultura Natural, pág. 317 da edição em japonês

Em outra ocasião, ao lhe perguntarem “Jesus Cristo também foi coroado como sendo o Messias (Salvador do Mundo). O que isso significa?”, Meishu-Sama respondeu:

No Ocidente, em linhas gerais, Jesus Cristo é chamado de Messias, mas isso não é dito com base em um conceito bem definido. Mesmo se tratando de “salvador do mundo”, ninguém até hoje jamais cumpriu verdadeiramente esse objetivo. Possivelmente, até a metade do século XX não foi possível manifestar tamanha força. Contudo, pode-se dizer que, finalmente, adentramos na época em que essa força divina será manifestada. Penso que, mesmo no Ocidente, Jesus Cristo manifestará tal força, mas tenho convicção de que, no Oriente, o Messias será capaz de manifestar verdadeiramente o poder de Deus. Portanto, será impossível compreender isso através dos conceitos religiosos convencionais.

Jornal Kyusei, vol. 53 – 11 de março de 1950
Fonte: Alicerce do Paraíso – Sociedade e Agricultura Natural, pág. 315 da edição em japonês

Dessa maneira, Meishu-Sama está nos indicando que, no Ocidente, certamente Jesus Cristo manifestará plenamente essa força.
Sobre o falecimento do Rev. Issai Nakajima, um de seus maiores discípulos, Meishu-Sama disse o seguinte:

Muitas coisas estranhas acontecerão. Eu não posso mais atuar como Kannon. Na nossa oração Zenguen Sanji, eu adicionei o termo: “tornou-se Messias”. Agora, a oração diz: “… transformou-se em Miroku e tornou-se Messias”. Minha hierarquia divina mudou de Kannon para Messias. O que Kannon veio realizando até agora será, daqui para frente, realizado por Messias. A atuação de Kannon está limitada ao Oriente e não é global. Com relação à salvação da humanidade, nossa religião se aproximará muito do cristianismo. Eu pensei sobre isso no passado, mas agora, finalmente, chegou a hora disso se materializar.

fevereiro de 1950
Fonte: Zenshu – Coletânea de Registro de Palestras Vol. 3, pág. 346 do original em japonês

Esses Ensinamentos de Meishu-Sama revelam muitas coisas: o sentimento de Meishu-Sama quanto à evolução da Obra Divina, em particular, com o cristianismo; a semelhança da sua própria divindade com a de Jesus Cristo; que as atividades e os ensinamentos pregados na religião de Meishu-Sama se aproximariam daquelas relacionadas ao cristianismo, e que o nascimento da Igreja Mundial do Messias anunciava que finalmente esse momento havia chegado. Para nós, seguidores de Meishu-Sama, esses ensinamentos são extremamente importantes e, acima de tudo, devemos gravá-los em nossos corações.

Entretanto, o sentimento que Meishu-Sama impregnou na criação da Igreja Mundial do Messias, que foi citado nos ensinamentos acima, foi esquecido pela nossa instituição nos anos que se seguiram. É inegável o fato de que isso persistiu até os dias de hoje.

O nome “Igreja Mundial do Messias”, após a ascensão de Meishu-Sama, foi alterado para “Igreja Messiânica Mundial”. Meishu-Sama havia nomeado o templo do Solo Sagrado de Atami de “Templo Messias”, mas esse nome também foi alterado para “Templo Messiânico”. Além disso, até hoje, viemos por muitos anos considerando que somente Meishu-Sama é o Messias, como se estivéssemos negando a existência de Jesus Cristo, o que contraria os Ensinamentos de Meishu-Sama. Devemos, portanto, pedir desculpas a Meishu-Sama pela nossa conduta.

Porém, Meishu-Sama jamais nos abandonou. Atualmente, ele está novamente guiando cada um de nós ao caminho que ele desejou ao instituir a Igreja Mundial do Messias. Estamos sendo guiados por ele através do Trono de Kyoshu.

Em setembro do ano passado, veio à tona o fato de Kyoshu-Sama e sua esposa estarem sendo espionados pela MOA Toho no Hikari. E, recentemente, ficamos cientes de que as pessoas que se autodenominam diretores executivos da Igreja Mãe e a direção que segue o Sr. Kobayashi estão investigando os e-mails trocados entre Kyoshu-Sama e sua família. Somos obrigados a considerar que isso se trata de uma atitude repugnante. Até quando essas pessoas continuarão cometendo atitudes indecorosas como essas?
Como resultado dessa atitude, eles criaram a especulação de que Kyoshu-Sama, sua esposa, a Sra. Mayumi Okada, e seu filho, Masaaki-Sama, faziam parte de uma seita cristã; que sofreram lavagem cerebral; e que desenvolveram atividades dessa seita. Além disso, têm propagado isso amplamente.

Consultamos Kyoshu-Sama a respeito dessas especulações, que nos transmitiu detalhadamente o seguinte:

“Obviamente, isso não é verdade! Fico surpreso como uma interpretação dos fatos de forma maldosa, fez com que eles chegassem a essa conclusão. Como eu já mencionei aos senhores anteriormente, buscando compreender o sentimento de Meishu-Sama, eu estudei o cristianismo e a Bíblia com um amigo que tenho desde a época da faculdade, e continuo até hoje me encontrando com ele. Por intermédio de um convite desse colega, cheguei a participar de um grupo de estudos sobre Jesus Cristo e a Bíblia. Logicamente, não passava de um grupo de estudos. Não era nenhuma instituição religiosa! Com o passar do tempo, o número de participantes foi diminuindo e há mais de 10 anos, esse grupo acabou se extinguindo naturalmente. Era comum os participantes desse grupo receberem um codinome, e não preciso esconder que segui os costumes desse grupo. Eu senti que esses estudos sobre Jesus e a Bíblia foram importantes dentro da minha busca pela compreensão do sentimento de Meishu-Sama, tanto que compartilhei esses estudos com minha esposa e meu filho, Masaaki. Penso que eles também devem ter sentido o mesmo que eu. Foi devido a esses aprendizados que eu passei a pensar: será que, o que Deus tentou transmitir através de Meishu-Sama não seria essencialmente a mesma coisa que Ele quis transmitir através de Jesus Cristo? Ao refletir sobre ao estado de espírito de Meishu-Sama ao instituir a Igreja Mundial do Messias, penso ser possível que Meishu-Sama tenha sentido o mesmo. Por conseguinte, alguns desses estudos sobre Jesus e a Bíblia que tive nesse grupo de estudo, e também com meu amigo, que achei que eram importantes e se encaixavam com os Ensinamentos de Meishu-Sama, submeti isso a Meishu-Sama durante minhas orações que faço a ele, e senti o seu consentimento. Assim, vim transmitindo aos senhores até hoje. Doravante, pretendo continuar agindo da mesma forma. Refletindo sobre tudo isso, penso que a permissão de ter feito essa amizade na época de faculdade, ou de ter estudado sobre Jesus Cristo e a Bíblia sejam a maneira pela qual Meishu-Sama fez com que todos nós, membros de Meishu-Sama, pudéssemos relembrar o sentimento de meu avô por ocasião da instituição da Igreja Mundial do Messias. Pretendo, doravante, continuar buscando o sentimento de Meishu-Sama ao afirmar que todas as religiões devem se unir em uma só e, neste ínterim, continuar estudando de forma efetiva sobre outras religiões, conforme Meishu-Sama me permitir.”

Em primeiro lugar, consideramos ser desnecessário fazer explicações a respeito de pesquisas que são feitas em âmbito pessoal. Contudo, ficamos profundamente gratos por Kyoshu-Sama ter atendido nosso pedido de forma tão respeitosa. Além disso, Kyoshu-Sama é um religioso. Qual é o problema em se fazer pesquisas sobre outras religiões, aproveitando seu tempo de descanso? Principalmente quando o tema é a respeito de Jesus Cristo, citado por Meishu-Sama como sendo um religioso com o qual devemos atuar em consonância? Não vemos problema algum nisso. Muito pelo contrário, não temos como agradecer pelo fato de Kyoshu-Sama estar utilizando suas horas de descanso para estudar seriamente sobre outras religiões, ao invés de se dedicar apenas a lazeres pessoais. Sentimos profundo respeito por isso e jamais seremos capazes de criticá-lo por ter essa postura.

Fomos informados que o Sr. Nagasawa, que se autoproclama presidente da Igreja Mãe, e o Sr. Kobayashi, que se autoproclama presidente da Igreja Izunome, tem “investigado” os e-mails trocados entre Kyoshu-Sama e sua família para, baseados na interpretação unilateral, gerarem comunicados ameaçadores que estão sendo enviados à Kyoshu-Sama, dizendo que ele não deve participar do Culto do Outono que será realizado dia 8 de outubro.

Qual teria sido a atitude daqueles que se autodenominam diretores executivos da Igreja Mãe e da MOA Toho no Hikari, se as pesquisas pessoais que Kyoshu-Sama tem feito fossem relacionadas à medicina integrativa ou alternativa, que são as diretrizes de expansão da MOA Toho no Hikari? Certamente, eles estariam dizendo: “Trata-se do Plano Divino de Meishu-Sama! Kyoshu-Sama tem realizado estudos maravilhosos!” Se Kyoshu-Sama estivesse utilizando conceitos como “espiritualidade na medicina integrativa”, apesar disso não existir nos Ensinamentos de Meishu-Sama, eles estariam aceitando as palavras de Kyoshu-Sama com a maior alegria. Assim sendo, por que não há problemas em fazer estudos sobre “medicina integrativa”, mas há problemas em estudar sobre Jesus Cristo ou a Bíblia? Notamos aqui mais uma grande contradição no que eles têm dito. Será que existe algum mal em se fazer estudos sobre Jesus Cristo ou a Bíblia dentro da busca pela compreensão do sentimento de Meishu-Sama? Para eles, Jesus e a Bíblia representam o Mal?

Em primeiro lugar, cometer atos de espionagem e vasculhar e-mails trocados entre Kyoshu-Sama e sua família não são condutas coerentes aos Ensinamentos de Meishu-Sama, algo que dificilmente pode ser considerado como a atitude de uma pessoa que tem fé.

Acreditamos que o fato de Kyoshu-Sama e Masaaki-Sama terem estudado sobre Jesus Cristo ou a Bíblia é algo que faz parte do Plano Divino de Meishu-Sama. Certamente, Meishu-Sama tem o forte desejo de concretizar aquele sentimento que vivenciou ao instituir a Igreja Mundial do Messias, e acreditamos que foi isso o que guiou Kyoshu-Sama e Masaaki-Sama a realizar esses estudos. Também acreditamos do fundo dos nossos corações que Meishu-Sama está atuando através do Trono de Kyoshu. Como pode alguém se considerar um seguidor de Meishu-Sama sem acreditar que ele está atuando dessa maneira?

“A Igreja Mundial do Messias vai atuar em consonância com o cristianismo”, “a Igreja Mundial do Messias se aproximará do cristianismo.” Esse estado de espírito que Meishu-Sama impregnou na criação de sua religião está para ser concretizado por meio de Kyoshu-Sama e do Masaaki-Sama. Estamos prestes a adentrar na verdadeira obra de unificação de todas as religiões, almejada por Meishu-Sama.

Como religiosos, ou até mesmo como simples seres humanos, sentimo-nos extremamente felizes por podermos viver esse momento histórico de grande transformação, liderados por Kyoshu-Sama na grandiosa Obra Divina de Meishu-Sama.

É chegado o momento de nos arrependermos do caminho que percorremos até hoje e caminharmos com alegria e serenidade junto a Kyoshu-Sama, que busca incansavelmente o sentimento de Meishu-Sama.

Vamos juntos orar no Culto do Outono, que será realizado em breve, com a grande esperança de concretizarmos o sentimento que Meishu-Sama impregnou na instituição da Igreja Mundial do Messias!

Atenciosamente

Keiichiro Narii
Presidente da Igreja Su no Hikari

Michio Shirasawa
Presidente da Sede Central Izunome