Pages Menu
Â̂ߋ Sede Central Izunome Izunome Group
Categories Menu

Postado on 10/maio/2019(sex)

Comunicado sobre realização de um novo abaixo-assinado

Comunicado sobre realização de um novo abaixo-assinado

Este conteúdo está disponível em: ja日本語 enEnglish

Print Friendly, PDF & Email

Comunicado sobre a realização de um novo abaixo-assinado

 O Sr. Nobuyuki Watase, que sequer tem ligação consanguínea com Meishu-Sama, um pesquisador do hinduísmo e diretor executivo de uma coligada da MOA Toho no Hikari, se autoproclama “Nobuyuki Okada” e alega ter se tornado Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial.

Os senhores aceitam ele?

Nós não o aceitamos!

—————
Entre em contato com a unidade religiosa mais próxima para obter maiores informações sobre o abaixo-assinado e sinta-se à vontade para nos enviar uma mensagem privada pelo Facebook.
—————

 Primeiramente, expressamos nossa mais sincera gratidão aos membros em todo o Japão e no mundo inteiro por servirem diariamente na Obra Divina de Meishu-Sama.

Chegou ao nosso conhecimento que, no final do mês de abril, as pessoas que se autoproclamam diretores executivos da Igreja Messiânica Mundial (diretores da MOA Toho no Hikari e diretores que seguem o Sr. Kobayashi), entraram com o processo de pedido de alteração do estatuto perante o Ministério da Cultura do Japão, tendo em mãos a aprovação do Sr. Nobuyuki Watase – diretor do centro científico de saúde da fundação MOA (iniciais de Associação Mokichi Okada, em inglês), que é coligada da MOA Toho no Hikari, e também é professor emérito da universidade Tokai, onde atua como pesquisador da filosofia indiana (hinduísmo e bramanismo) – que eles alegam ter empossado como o Quinto Líder Espiritual da nossa religião.

Os senhores devem se lembrar que, no ano passado, entregamos ao Ministério da Cultura do Japão um abaixo-assinado contra a alteração do estatuto da Igreja Messiânica Mundial.

Naquele abaixo-assinado, consta o seguinte:

Os senhores Nagasawa e Kobayashi ignoram o estatuto e os regulamentos da Igreja Messiânica Mundial. E existem suspeitas de que eles intencionam empossar um novo Kyoshu – Líder Espiritual. Isto coloca a existência da nossa religião em perigo. Portanto, não aceitamos a ocorrência de tal atitude hostil. Rogamos para que Vossa Excelência não autorize a realização de qualquer pedido de alteração do estatuto e dos regulamentos, que sejam acompanhadas pelo reconhecimento de uma pessoa que alega ser o ‘novo Kyoshu’ da Igreja Messiânica Mundial”.

Naquele abaixo-assinado, foram recolhidas mais de 40 mil assinaturas. Isto é uma evidência clara do quão grande é o número de membros que desejam que a Igreja Messiânica Mundial seja guiada de forma correta e, além disso, que muitas pessoas são contrárias às atitudes da MOA Toho no Hikari e da diretoria executiva do Sr. Kobayashi.

Aquele abaixo-assinado foi, ao mesmo tempo, a representação do forte desejo dos membros de jamais admitir o fato de a família de Meishu-Sama – Kyoshu-Sama, neto de Meishu-Sama, e sua esposa – estarem sendo espionados pela MOA Toho no Hikari. Atitude esta que ainda hoje é aceita pelo Sr. Kobayashi, da Igreja Izunome, e por aqueles que o apoiam; o Sr. Marco Resende, no Brasil; o Sr. Claudio Pinheiro, na África; o Sr. Carlos Luciow, na Itália e em Portugal; e o Sr. Marco Negrão, nos Estados Unidos. Aquele abaixo-assinado foi também a representação do espírito de justiça, algo que o verdadeiro seguidor de Meishu-Sama carrega sempre consigo, por saber que Meishu-Sama, mesmo que fosse necessário mover um processo em prol do que é correto para a sociedade e autoridades, ensinando-nos que a nossa religião “eliminará completamente o mal da face da Terra”.

Renovamos aqui a nossa mais sincera gratidão por todas as assinaturas que foram recolhidas no ano passado. Muitíssimo obrigado.

Infelizmente, o que foi previsto por nós através do abaixo-assinado entregue no passado se tornou uma realidade. As pessoas que se autoproclamam diretores executivos da Igreja Messiânica Mundial entregaram ao Ministério da Cultura o pedido de alteração do estatuto, acompanhado do Certificado de Aprovação assinado pelo Sr. Nobuyuki Watase, que se autodenomina “novo Kyoshu” da nossa religião.

Isto é uma prova de que a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi têm como objetivo fazer com que o governo japonês reconheça um “novo Kyoshu” e, através desse Kyoshu “fantoche”, querem se apossar da Igreja Messiânica Mundial.

Não é possível para nós reconhecer o Sr. Nobuyuki Watase, que sequer sabemos quem é, como Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial.

Acredita-se que o Ministério da Cultura deve se pronunciar a este respeito dentro de três meses. A Igreja Su no Hikari, a Sede Central Izunome e os membros da MOA Toho no Hikari que se filiaram à Igreja Su no Hikari, objetivando demonstrar claramente sua decisão ao Ministério da Cultura, contam novamente com a compreensão e colaboração de todos os membros para realizar um novo abaixo-assinado de âmbito mundial.

Originalmente, o que o Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial significa para cada um de nós? Seria Kyoshu uma pessoa escolhida levianamente pela diretoria executiva, de tempos em tempos, para ser uma marionete da direção? Uma pessoa que não possui ligação consanguínea com Meishu-Sama pode se tornar Kyoshu – Líder Espiritual – da nossa religião?

Nem sequer é preciso mencionar que, nos cânones da família Okada [Assim como o estatuto e os regulamentos da Igreja Messiânica Mundial, os cânones da família Okada são normas importantíssimas que jamais devem ser violadas pela direção] está claramente determinado que Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial deve ser escolhido dentre as pessoas que possuem ligação consanguínea com Meishu-Sama.

Apesar disso, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi adulteraram os cânones da família Okada, inserindo que basta a a indicação pela direção para que uma pessoa, mesmo sem ligação consanguínea com Meishu-Sama, possa se tornar Kyoshu – Líder Espiritual.

Em primeiro lugar, a alteração dos cânones da família Okada não pode ser feita sem a aprovação do atual Kyoshu-Sama, o Sr. Yoichi Okada, conforme rege o artigo 14 dos regulamentos. No entanto, eles ignoraram as normas da Igreja Messiânica Mundial e os cânones da família Okada, dando posse a um “Kyoshu” que atenda aos seus desejos.

O Sr. Nobuyuki Watase, que se autodenomina Quinto Líder Espiritual, é diretor executivo do centro científico de saúde da fundação MOA, que é coligada da MOA Toho no Hikari. Isto, por si só, retrata tudo o que eles intencionam.

Recentemente, no Japão, tivemos a mudança da era Heisei para a era Reiwa, após o imperador Akihito abdicar o trono imperial, e passar o posto de imperador para o seu filho, Naruhito. Todos os japoneses sabem muito bem que a linhagem imperial segue a linhagem consanguínea, sendo que isto está até mesmo determinado na constituição japonesa.

Será que algum japonês admitiria uma repentina alteração na constituição, pela qual fosse empossado um imperador que não tem nenhuma ligação consanguínea com a família imperial?

Por que, então, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi tentam, a qualquer custo, dar posse para um “novo Kyoshu”?

As pessoas que se autoproclamam diretores executivos da Igreja Messiânica Mundial alegam que, em 30 de janeiro de 2018, deliberaram a abolição dos laços institucionais entre a Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe – e a Igreja Messiânica Mundial, Igreja Su no Hikari – uma das três igrejas filiais que compõe a Igreja Mãe.

Como todos sabem, a Igreja Messiânica Mundial passou por inúmeras purificações e processos judiciais desde a ascensão de Meishu-Sama, em 1955. Em 1997, sob a proteção de Sandai-Sama – Terceira Líder Espiritual – tivemos o acordo da reconciliação e, em 1998, Sandai-Sama abdicou o posto de Kyoshu – Líder Espiritual –, e o transferiu para o atual Kyoshu-Sama, o Sr. Yoichi Okada. Dessa forma, a partir do ano 2000, a nossa religião passou a ser constituída pelo sistema de Igreja Mãe e Igrejas Filiais. Desde então, a Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe – é composta por três Igrejas Filiais: “Igreja Messiânica Mundial, Igreja Izunome”, “MOA Toho no Hikari” e “Igreja Messiânica Mundial, Igreja Su no Hikari”. Entretanto, no ano de 2018, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi abandonaram o espírito da reconciliação dos três grupos, alegando que um deles, a “Igreja Messiânica Mundial, Igreja Su no Hikari”, havia sido abolida da Igreja Mãe. Ou seja, deu-se início ao movimento de exclusão de uma das três Igrejas Filiais.

A MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi fazem alarde ao dizer que as orientações de Kyoshu-Sama contrariam a doutrina e fizeram uso disso para tentar abolir a Igreja Su no Hikari, pois esta tem as palavras de Kyoshu-Sama como alicerce da fé.

Entretanto, no estatuto da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe – está determinado no artigo 5 que “Kyoshu – Líder Espiritual, herda a sagrada obra do fundador e, baseando-se na doutrina, unifica a Igreja Messiânica Mundial” e, no artigo 9 dos regulamentos, que “Kyoshu – Líder Espiritual, define as bases e as linhas gerais dos ensinamentos da Igreja”. Enfim, a doutrina da Igreja Messiânica Mundial é determinada pelo seu Kyoshu – Líder Espiritual, ou seja, é impossível que Kyoshu-Sama esteja contrariando a doutrina.

O fato de a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi alegarem que Kyoshu-Sama está contrariando a doutrina é uma prova de que eles ignoram as normas estabelecidas pela Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe. Trata-se de um grande equívoco.

Tratando-se de membros da Igreja Messiânica Mundial, ou de uma das três Igrejas Filiais ligadas a ela, devemos estar cientes de que o desenvolvimento de práticas da fé alicerçadas nas orientações de Kyoshu-Sama é o mesmo que seguir o que está determinado no estatuto e nos regulamentos como sendo doutrina. Assim sendo, é ilógico que a Igreja Su no Hikari, que cumpria com seus deveres, venha a ser expulsa da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe.

Quem deve se retirar são as pessoas que não gostam das regras estabelecidas. Entretanto, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi não querem se desligar dos bens e propriedades que pertencem à Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe. Eis o porquê de eles adulterarem os regulamentos para lhes favorecer e o motivo pelo qual eles intencionam expulsar a Igreja Su no Hikari, pois esta obedece aos regulamentos.

No entanto, certamente eles tinham total consciência da ilógica de seus próprios atos. Afinal, para justificar a alteração que eles próprios cometeram, não haveria outra alternativa senão alegar que Kyoshu-Sama e a Igreja Su no Hikari violaram as regras e que, por esse motivo, viram-se obrigados a alterá-las. Para tanto, não tiveram outra saída exceto julgar pessoas e degradar a dignidade delas. Os textos que continuam sendo remetidos por eles até hoje chegam a ser cômicos, tamanho é o baixo nível com que são redigidos.

Também estamos cientes de que, por ocasião do processo jurídico movido pela Igreja Su no Hikari, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi entregaram nos tribunais textos fictícios, sem sentir vergonha nenhuma do que eles próprios escreveram.

Essa atitude imprudente cometida por eles está, atualmente, se expandindo pelo mundo inteiro, e consiste na causa fundamental do caos na Igreja Messiânica Mundial.

A MOA Toho no Hikari objetiva esconder Deus e fazer com que as atividades da Igreja Messiânica Mundial percam características religiosas. Eis o porquê durante muitos anos eles realizam inúmeros ataques contra Kyoshu-Sama, por estar orientando claramente sobre a existência de Deus, contra o Reverendíssimo Tetsuo Watanabe, que como presidente da Igreja Izunome sempre apoiou firmemente Kyoshu-Sama, e contra a Igreja Su no Hikari, que caminha junto a Kyoshu-Sama e ao sentimento do Reverendíssimo Tetsuo Watanabe. Devido à passagem para o Mundo Espiritual do Revmo. Watanabe, que para eles era um grande empecilho, em outubro de 2013, o Sr. Kobayashi se uniu imediatamente com a MOA Toho no Hikari, planejando desde então uma forma de expulsar da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe – a Igreja Su no Hikari, pois ela aceita as orientações de Kyoshu-Sama, que herda a sagrada obra de salvação da humanidade almejada por Meishu-Sama.

Para que a abolição dos laços institucionais entre a Igreja Mãe e a Igreja Filial entre em vigor faz-se necessário a exclusão do nome “Igreja Messiânica Mundial, Igreja Su no Hikari” do artigo 27 do estatuto, onde consta o nome das Igrejas Filiais. Porém, para que isto seja realizado, é necessária a aprovação pelo Kyoshu – Líder Espiritual. Isto está determinado no estatuto da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe e, naturalmente, o Ministério da Cultura não certificará a alteração do estatuto sem o Certificado de Aprovação pelo Kyoshu – Líder Espiritual.

Por este motivo, o Sr. Nagasawa, que se autoproclamou presidente interino da nossa religião, tentou por duas vezes solicitar a aprovação ao Kyoshu-Sama (o legítimo Kyoshu-Sama, o Sr. Yoichi Okada), em 19 de fevereiro e 27 de fevereiro de 2018. Todavia, Kyoshu-Sama emitiu uma resposta clara, dizendo: “isso é inadmissível pois nega a base do atual sistema institucional entre a Igreja Messiânica Mundial [Igreja Mãe] e suas Igrejas Filiais”, e “portanto, seu pedido está reprovado”.

Consequentemente, para que a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi consigam fazer com que a alteração do estatuto se torne uma realidade, para conseguirem concluir o objetivo de excluir a Igreja Su no Hikari da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe –, faz-se necessário um Kyoshu que atenda os seus caprichos. Em suma, eles necessitam de um Certificado de Aprovação pelo Kyoshu – Líder Espiritual.

Foi então que eles realizaram procedimentos ilegais, ou seja, ignoraram as normas da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe –, para alegar que destituíram o Sr, Yoichi Okada do posto de Kyoshu – Líder Espiritual, para dar posse a um “Kyoshu fantoche”, o Sr. Nobuyuki Watase.

A respeito do fato de terem dado posse a um “novo Kyoshu”, a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi explicam que a “determinação do Sr. Nobuyuki Watase para ser Kyoshu – Líder Espiritual, se deve ao fato de questões administrativas da instituição não poderem ficar estagnadas” e que “não haverá oportunidade para que ele se poste perante os membros nos cultos”.

Em síntese, para eles um Kyoshu – Líder Espiritual – é uma existência necessária para que assuntos administrativos não fiquem estagnados, não sendo necessária sua presença perante os membros.

Para a MOA Toho no Hikari e os diretores que seguem o Sr. Kobayashi, basta a existência de um Kyoshu – Líder Espiritual que emita um Certificado de Aprovação, para realizar a alteração do estatuto e dos regulamentos, ou um Certificado de Reconhecimento, necessário para empossar um novo presidente para a Igreja Mãe e para qualquer uma das Igrejas Filiais. Eis o significado de Kyoshu para eles.

Quem tipo de pessoas são essas, capazes de alegar que expulsaram Kyoshu-Sama, neto de Meishu-Sama, da Igreja Messiânica Mundial só por não terem obtido a aprovação pelo Kyoshu que eles tanto precisam? Por fim, eles deram posse ao Sr. Nobuyuki Watase, um diretor de uma coligada da MOA Toho no Hikari, como Kyoshu simplesmente para que pudessem obter a aprovação necessária para alterar o estatuto da Igreja Messiânica Mundial – Igreja Mãe. Certamente, eles não são mais capazes de enxergar o quanto estão afastados do sentimento de Meishu-Sama.

Espionagem, adulteração de documentos e violação de leis: tudo isso é possível para eles, desde que outras pessoas não tomem conhecimento de tais atos. Esse tipo de postura somente prova que eles não acreditam que Deus está vivo.

Apesar de alegarem ao mundo que as orientações de Kyoshu-Sama estão desviadas da doutrina, eles próprios assumem a postura de quem está totalmente contrário à doutrina que Meishu-Sama nos legou, sem sequer perceber o quanto estão afastados dela. A doutrina passa a ter significado quando é praticada no cotidiano. A postura de solicitar serviços secretos em uma agência de detetives para espionar alguém é, por si só, algo inadmissível em um religioso. Imaginem que essa espionagem, algo que nem sequer merece ser comentado, veio a ser pauta de uma reunião da diretoria executiva da MOA Toho no Hikari, sendo reconhecida por eles, e aceita com naturalidade pelo Sr. Masayoshi Kobayashi, pelo Sr. Marco Resende, pelo Sr. Claudio Pinheiro, pelo Sr. Carlos Luciow e pelo Sr. Marco Negrão. Não encontramos palavras para descrever este posicionamento. Rogamos, sinceramente, para que um dia eles venham a despertar e se arrepender dessa postura completamente contrária ao sentimento inicial da nossa fé.

Os ideogramas que compõem a palavra Kyoshu significam respectivamente “ensinamento” e “senhor”. Ou seja, Kyoshu significa “senhor dos ensinamentos”.

Assim como o imperador japonês é um símbolo para o seu povo, conforme está determinado na constituição do Japão, o Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial também tem o papel de símbolo para todos nós, seguidores de Meishu-Sama. Entretanto, não é só isso: conforme também está determinado no regulamento, “Kyoshu – Líder Espiritual, define as bases e as linhas gerais dos ensinamentos da Igreja”. Assim sendo, o caminho a ser percorrido pela Igreja Messiânica Mundial é determinado pelo Kyoshu e, portanto, trata-se de uma existência única para a nossa religião.

Meishu-Sama foi o primeiro Kyoshu – Líder Espiritual – da nossa religião e este posto foi herdado por Nidai-Sama e Sandai-Sama, que nos lideraram e caminharam junto aos membros e nos transmitiram orientações e salmos, em estilo tanka; foi por meio da postura dos Líderes Espirituais que sempre corrigimos a postura de nos voltarmos corretamente para Meishu-Sama, aprofundando a nossa própria fé.

O mesmo ocorre com o atual Quarto Líder Espiritual, o Sr. Yoichi Okada, que tem nos guiado para compreender o sentimento de Meishu-Sama que utilizou a palavra Messias, que até então, o mundo inteiro associava como sendo exclusiva a Jesus Cristo. Meishu-Sama adotou o nome Messias para a nossa religião (Sekai Meshiya Kyo – Igreja Mundial do Messias); edificou um templo e deu-lhe o nome de Templo Messias (atual Templo Messiânico no Solo Sagrado de Atami); orientou a todos os membros a cantarem o Coro Aleluia, do oratório O Messias. Meishu-Sama também afirmou que o alvo da nossa fé é o mesmo Deus cultuado no cristianismo – Jeová, e criou um jornal com nome Eiko, cujo significado é “Glória”, que é um termo Cristão. Meishu-Sama também publicou livros com nomes cristãos: “Tengoku no Fukuin (Evangelho do Reino dos Céus)” e “Tengoku no Fukuin-Sho (O livro sobre o Evangelho do Reino dos Céus)”, e nos legou em seus ensinamentos “atuar em consonância com o cristianismo” e “a Igreja Mundial do Messias se aproximará muito do cristianismo”. Meishu-Sama também utilizou as expressões Aleluia e Messias em muitos dos salmos em estilo tanka, compostos por ele, e, em seus últimos anos de vida terrena, mencionou o “nascer de novo”, que é citado no Evangelho segundo João, ao anunciar que o Messias havia nascido. Além disso, Meishu-Sama também disse que Messias refere-se à segunda vinda de Cristo. Até hoje, não fomos capazes de compreender o significado de tudo isso, mas quem mais tem se empenhado para que nós, os membros, possamos compreender esse sentimento de Meishu-Sama é Kyoshu-Sama, o Sr. Yoichi Okada.

O fato de Kyoshu-Sama estar se empenhando em aprofundar seu conhecimento sobre o cristianismo, atualmente é considerado pela MOA Toho no Hikari e pelos diretores que seguem o Sr. Kobayashi como um problema. Entretanto, não seria também nosso dever como seguidores de Meishu-Sama, nos empenharmos para conhecer mais a respeito do cristianismo para que possamos compreender os exemplos citados acima, a fim de que possamos nos aproximar do sentimento de Meishu-Sama? Se não for dessa forma, seremos nós capazes de concretizar a salvação da humanidade e de todas as religiões? Quem nos fez perceber a importância disso é o atual Quarto Líder Espiritual, Kyoshu-Sama.

Para nós, Kyoshu – Líder Espiritual – da Igreja Messiânica Mundial é alguém que, independentemente de ser perseguido, ser difamado e atacado, nos lidera no sentido de nos postarmos frente a frente com Meishu-Sama.

Por outro lado, qual será o papel do Sr. Nobuyuki Watase, que se autoproclama o Quinto Líder Espiritual da nossa religião? Jamais intencionamos criticar o hinduísmo. Pelo contrário, consideramos que tratar-se de uma grande religião, à qual destinamos nosso respeito. Entretanto, sentimos deveras estranheza no fato de um pesquisador do hinduísmo vir a ser colocado no posto de Kyoshu – Líder Espiritual –, que deveria ser ocupado por alguém totalmente centralizado nos ensinamentos da Igreja Messiânica Mundial. Se uma pessoa nestas condições vir a se tornar Kyoshu, não seremos mais “Igreja Messiânica Mundial”.

Afinal, trata-se de uma pessoa que nunca apareceu perante os membros e fica confinada em uma sala realizando pesquisas sobre o hinduísmo, e que somente carimba documentos solicitados pela direção. Esse é o Sr. Nobuyuki Watase, o “atual Líder Espiritual da Igreja Messiânica Mundial”. O que dizer dessa situação esdrúxula? Sentimo-nos envergonhados só de imaginar quando a sociedade tomar conhecimento disso. O que será que Meishu-Sama, Nidai-Sama, Sandai-Sama e os pioneiros, que edificaram os alicerces da nossa religião, pensam a respeito desta situação?

Por conseguinte, não somos capazes de reconhecer o Sr. Nobuyuki Watase, diretor de uma coligada da MOA Toho no Hikari e pesquisador do hinduísmo, que não tem nenhuma ligação consanguínea com Meishu-Sama, como sendo o “Líder Espiritual” da Igreja Messiânica Mundial. Se isto vir a acontecer, será o fim da Igreja Messiânica Mundial.

Também não somos capazes de reconhecer a alteração do estatuto aprovada por uma pessoa como o Sr. Nobuyuki Watase, que como exposto acima, carrega consigo inúmeros problemas relacionados à fé, à virtude e às leis.

Para transmitirmos a nossa forte determinação ao Ministério da Cultura, onde está, atualmente, sendo realizado o processo de tentativa de alteração do estatuto, iremos realizar um novo abaixo-assinado. O documento para realização deste está sendo elaborado e, nos próximos dias, será enviado à todas as unidades religiosas e responsáveis pelas igrejas em todos os países. Rogamos pela compreensão e colaboração dos membros do mundo inteiro.

Esperamos que todos os seguidores de Meishu-Sama participem de forma efetiva desde abaixo-assinado, que objetiva proteger a Obra Divina de Meishu-Sama.

Atenciosamente

Keiichiro Narii
     Presidente
Igreja Messiânica Mundial, Igreja Su no Hikari

Michio Shirasawa
     Presidente
Igreja Su no Hikari, Sede Central Izunome

—————
Entre em contato com a unidade religiosa mais próxima para obter maiores informações sobre o abaixo-assinado e sinta-se à vontade para nos enviar uma mensagem privada pelo Facebook.
—————

 

Versão em PDF: Comunicado sobre realização de um novo abaixo-assinado